Desenferruje seu gato

Muitos bichanos idosos convivem com problemas articulares. Mas nem sempre é possível diagnosticá-los precocemente. Saiba como proceder

Flexibilidade dos gatos

A flexibilidade dos felinos é algo notável. Eles se arriscam escalando cortinas ou se escondendo em espaços minúsculos. Mas muita gente nem imagina que, apesar de toda essa mobilidade, 30% dos bichanos convivem com dores e limitações causadas pelo desgaste ou pela inflamação articulares. Trata-se das chamadas artrites e, em casos crônicos, artroses. Um levantamento realizado pela Universidade de Glasgow, na Escócia, aponta que esse tipo de enferrujamento das articulações dos gatos é mais comum do que se imagina.

“Apesar de o problema ser grave e comprometer a qualidade de vida do animal, as artrites e artroses nos felinos ainda são subdiagnosticadas”, confirma a veterinária Maira Resende, do Hospital Veterinário Pompeia, em São Paulo. O comportamento do bicho pode ajudar a flagrar a doença. Deixar de saltar ou se aventurar em escaladas é um indício típico de que a encrenca se instalou — e o pior é que ela geralmente já está em estágio avançado. Diante desse quadro, não se deve postergar a consulta com um especialista.

O que dispara essa perda de agilidade na gataiada? Numa espécie de fogo amigo, alguns tipos de artrite, conhecidos como autoimunes ou erosivos, são deflagrados pelas próprias defesas do felino, que, tresloucadas, passam a atacar as juntas. Daí movimentar as patas torna-se um verdadeiro fardo. Drogas imunossupressoras, que diminuem a atividade do sistema imunológico, são as mais indicadas para esses casos. Tártaro nos dentes e ferimentos mal tratados também favorecem a eclosão da enfermidade. “Eles podem contribuir para que vírus e bactérias caiam na corrente sanguínea e acabem acometendo as articulações”, diz Cássio Ricardo Ferrigno, professor da Faculdade de Veterinária e Zootecnia da Universidade de São Paulo.

Quando a artrite se torna crônica, ela passa a ser chamada de artrose. “Ao atingir uma idade mais avançada, a partir dos 5 anos, os gatos tendem a apresentar artroses provocadas por processos comuns ao envelhecimento, que são agravadas pela obesidade e pelo sedentarismo”, diz Maira. “Originárias de processos degenerativos, elas são tratadas com anti-inflamatórios, analgésicos e medicamentos condroprotetores”, explica Ferrigno. Esses remédios detêm o desgaste das cartilagens. Por fim, como uma opção paliativa, as agulhadas da acupuntura auxiliam a minorar a dor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *